9.22.2009

Ai de mim...




Chego a um ponto negro sem aconchego
chego e e me pinto de negro tinto,
sentimento que não minto, sinto,
chego neste ponto neste negro rochedo.

Sento-me, sinto-me, saudo-me pois só,
minha alma marcada de tanto nó,
não acredita, só dor, só há desdita,
dor aut-imposta, inventada, maldita...

Mas não me compreendo, me rendo
a loucura, lenta que me ocorreu
o mundo aos meus pés, e fujo correndo

Mas sigo sonhando, vidente vendo,
mesmo sabendo, louca sofrendo, que sou eu,
o pior inimigo, que venho tendo...


3 comentários:

Anônimo disse...

Olá, Ana Laura:

Confesso que gostei muito deste soneto. Gostei principalmente dos últimos versos porque, no fundo, a alma de poeta é tão contraversa, que por vezes, meditamos e reflectimos para nos acharmos e nos encontrarmos. Enfim, se for sua própria inimiga não se esqueça de ser de vez em quando sua amiga.

Um abraço

António

Eu disse...

É verdade Antônio, mas sei me amar também, mas as vezes nossas idiossincrasias nos enredam de tal forma que acabamos atrapalhados pelo próprio psiquismo. Mas se queres saber, não gostaria de ser outra pessoa, me amo com minhas idiossincrasias loucas e poéticas.

Anônimo disse...

Compreendo-a. O extremo está associado às pessoas sensíveis. O meu costuma dizer que sempre primei pelo exagero, tanto no mal como no bem. Quando tenho sede tenho vontade de engolir o rio Tejo de uma só vez. Enfim, sou, sem sombra de dúvida, um extremista.

Um abraço para si

António

Quem sou eu

Minha foto
Eu sou o fio que liga os pensamentos... o cio dos momentos de afeto... sou o furo no teto... que deixa ver as estrelas... sou a última... não as primeiras... fico no fim da sala... acalmando a alma... que não cala... silenciosa em desatino... sou as palavras sem destino... voando pela goela... sou a alma que berra... o sentimento insano... sou boneca de pano... na infancia da pobreza... sou o louco que grita... as verdades para a realeza... é sou eu... espelho torto do mundo, amor de Prometeu, fogo ao homem, fome de pássaro pontual e solução de caduceu...